A bursite do quadril é causada por uma inflamação da bursa trocanteriana, uma pequena bolsa gelatinosa que geralmente contém uma pequena quantidade de líquido. Bursas estão localizados por todo o corpo, sobretudo em torno do ombro, cotovelo, quadril, joelho e calcanhar. Eles agem como almofadas entre os ossos e os tecidos que recobrem os tendões, e ajudam a reduzir a fricção entre os músculos e os ossos. Ela é conhecida como bursite trocantérica ou bursite trocanterianaQuadril 3.

Além da bursa trocanterica, apresentamos no quadril a bursa iliopsoas, localizado no (lado da virilha) no interior do quadril é chamada de bursa iliopsoas. Quando essa bursa fica inflamada, a condição é também por vezes referido como a bursite do quadril, mas a dor está localizada na região da virilha.Esta condição não é tão comum como a bursite trocantérica, mas é tratada de maneira semelhante.

O principal sintoma da bursite do quadril é a dor no momento do quadril e também ao deitar sobre o lado afetado. A dor geralmente se estende para fora da área da coxa. Nos estágios iniciais, a dor é geralmente descrita como aguda e intensa. Mais tarde, ela pode apresentar-se como uma dor mais difusa. Normalmente, a dor é pior à noite, quando deitado sobre o quadril afetado e também quando se levantar de uma cadeira depois de estar sentado durante algum tempo. A dor surge também em outras situações ao ficar em pé por tempo prolongado, subir escadas ou agachar.

A bursite do quadril pode afetar qualquer pessoa, mas é mais comum em mulheres e pessoas de meia-idade ou idosos e menos comum em pessoas mais jovens e em homens. Porem este índice vem aumentando pela crescente busca pelas atividades físicas sem orientação em academias e exercícios de ruas.

 

Quadril 2

Diversos fatores podem contribuir para a bursite do quadril, dentre eles posso destacar: Esforços repetitivos (bicicleta), Traumas no quadril (contusão), doenças da coluna vertebral (escoliose), discrepância de membros inferiores, Artrite reumatóides, Cirurgia prévias, Obesidade, Osteófitos ou calcificações no tendão que esta inserido no quadril. Importante ressaltar que as atividades físicas que normalmente sobrecarregam a articulação do quadril como sobrepeso, agachamento, avanço, ou até mesmo em cadeia aberta com caneleiras devem ser evitadas.

O diagnóstico é de fácil identificação, porem às vezes necessitamos de exames de imagem como: RX simples, Ressonância Nuclear Magnética e a Cintilografia óssea podem auxiliar em algumas situações.

Dentre os tratamentos devemos destacar alguns cuidados:

O tratamento inicial de bursite do quadril não envolve cirurgia. Muitas pessoas com bursite do quadril podem sentir um alívio com as mudanças de estilo de vida simples, incluindo:

  • Modificação de atividades, evitando as atividades que pioram os sintomas.
  • Uso de antiinflamatórios não-esteróides (AINEs), para controlar a inflamação e a dor
  • O uso de uma bengala ou muletas durante uma semana ou mais.
  • Fisioterapia
  • Tratamento Local com Gelo ou Calor
  • Infiltração de corticóide
  • Trocar o colchão por um mais macio.

 

O tratamento cirúrgico deve ser considerado se o tratamento conservador não apresentar sucesso, e normalmente sessões de Fisioterapia associado ao tratamento de Hidroterapia são empregadas com resultados satisfatórios.

Como prevenção deve – se evitar condutas e atividades que fazem a inflamação da bursa piorar. Evitar atividades repetitivas que exerçam pressão sobre os quadris, perder peso, corrigir a discrepância dos membros inferiores com uma palmilha, mudar o hábito de dormir, trocar o colchão, manter a força e a flexibilidade dos músculos do quadril com exercícios e alongamento regulares.

Quadril 1