Será que essa coisa de poço da juventude existe mesmo? Retardar o envelhecimento, melhorar os aspecto da pele e a condição física, será que é mesmo possível? Resolvi fazer uma pesquisa sobre a frutinha que está me acompanhando nos últimos meses e que eu particularmente adoro! Querem ver?

Consumida pelos orientais há milhares de anos, a goji berry ainda é novidade no país, mas vem conquistando cada vez mais espaço no cardápio dos brasileiros.  Originária do sul da Ásia – China, Tibete e Índia -, a fruta é a sensação do momento nas dietas e destaca-se também por suas propriedades benéficas à saúde.

A alta concentração de vitamina C é um dos atrativos da fruta chinesa.  Cada 100 gramas da fruta contêm 2 gramas de vitamina C. Já 100 gramas, ou uma xícara de chá, da versão seca contém 2500 miligramas da vitamina, quantidade 50 vezes maior que a de uma laranja. Além disso, ela também possui grande quantidade das vitaminas B1, B2 e B6.

A quantidade de vitamina C já justifica o consumo diário da goji berry e, sua ingestão por meio do alimento natural é muito mais eficiente para o organismo do que se fosse realizada em forma de suplementos.

Rica em variedade de aminoácidos, vitaminas, ácidos graxos insaturados e polissacarídeos, a goji berry agrada à primeira vista por ser pouco calórica. Uma colher de sopa da fruta possui cerca de 50 calorias. Contudo, seus benefícios vão muito além da balança.

O consumo regular da fruta asiática resulta no aumento no nível de energia, desempenho atlético, qualidade do sono, facilidade de despertar e a capacidade de se concentrar em atividades. Além disso, pode ajudar na redução da fadiga e do estresse. (Isto é boom!)

Muitos dos benefícios de saúde relatados após a inclusão da goji berry na dieta estão relacionados com a sua elevada concentração antioxidante. É rico em minerais (zinco e selênio) e polifenóis (antocianina e resveratrol) que favorecem a renovação celular, ou seja, ainda tem poder rejuvenescedor!

Bora experimentar essa Xing-Ling?